Central Educativa

Confira quais são os tipos de graute existentes no mercado

O graute é um tipo de argamassa ou concreto de alta resistência, que tem como função, preencher espaços vazios de concretagem. No final da construção, o graute proporciona uma maior resistência à obra como um todo, sendo sinônimo de durabilidade. Neste artigo, você saberá mais sobre os tipos de grauteamento existentes no mercado.

Composição do graute

Dentre os principais componentes utilizados no graute, encontram-se:

  • Aditivos em pó, como os superplastificantes, os aditivos antilavagem dos finos e os expansores retentores de água;
  • Adições minerais, como a sílica ativa, as pozolanas, o filler calcário ou as cargas minerais;
  • Cimento Portland;
  • Areia e pedriscos de origem quartzosa, granitos ou areia de sílica;
  • Polímeros, que são os acrilatos ou SBR.

Tipos de graute

O mercado classifica os grautes em dois tipos: graute mineral e graute orgânico. Entenda melhor sobre os dois tipos e saiba qual é mais indicado para o seu caso:

Graute mineral

O graute à base mineral ou cimentício é amplamente utilizado nas construções. Exemplos de uso desse tipo de graute são obras de reparo, aplicações submersas, execuções sob altas temperaturas e injeções. O graute mineral costuma ser indicado para o uso geral de construções e indústrias, pois supre às necessidades e deixa o trabalho bem resistente a muitas das coisas que podem, com o passar do tempo, alterar a estruturação.  Contudo, existem alguns contras em sua utilização, visto que o graute cimentício, por exemplo, faz muita sujeira, trinca com a movimentação, não é isento de bolhas, possui a cura longa para para começar a aplicar tem espessura mínima de 30 a 50 mm.

Graute orgânico

Esse tipo de grauteamento (com base orgânica ou de resinas) possui uso mais limitado e específico. Enquanto o graute mineral é usado para obras em geral, o à base orgânica é destinado a situações específicas. Ou seja, é indicado apenas para determinados casos.

Essas situações são as que necessitam de resistência mecânica a ataques químicos e a óleos, alta aderência ou que precisam de boa capacidade para absorver vibrações. O grauteamento orgânico também é indicado para grautear túneis e cabos de protensão e para fazer grauteamentos geotécnicos.

Um exemplo do graute orgânico é o Shimfast®, uma resina de preenchimento e fixação utilizada em máquinas e construções de todos os portes, para resolver problemas técnicos de grauteamento e calçamento. Trata-se de um material sintético fundível no local a temperatura ambiente, com excelente módulo de elasticidade proporcionando ao equipamento um perfeito contato com a fundição.

O graute de poliuretano, por exemplo, possui inúmeros benefícios como:

  • Baixa viscosidade
  • Flui em bases de espessura de preenchimento acima de 5 a 6 mm
  • Cura material rápida, de 24h
  • Sistema de aplicação limpo
  • Ausência de odores
  • Embora seja rígido, é um material maleável, assim acompanha a dilação do concreto e do aço, sem que haja movimentação
  • Oferece isolação, em torno de 40 kv por mm de isolação elétrica

Tanto o graute orgânico, quanto o graute mineral são essenciais para vários tipos de construções. Agora que você sabe mais sobre os tipos de grauteamento, aproveite para conferir em nosso blog, outros artigos sobre o assunto.