Central Educativa

Como proteger placas de circuito impresso?

Os circuitos de qualquer aparelho eletrônico são partes fundamentais em seu funcionamento. Sem eles, não há como distribuir comandos e, no geral, suas funções não são executadas. Por isso, é tão importante saber como proteger placas de circuito impresso dentro de qualquer maquinário, seja para confecção ou reparos.

Como proteger placas de circuito impresso?

As placas de circuito impresso, como você já deve saber, são placas que contêm as linhas de transmissão de circuitos entre diferentes partes do sistema, facilitando a comunicação dos comandos. Elas são usadas em diversos aparelhos, como geladeira, celulares e computadores. Naturalmente, pela sua importância, devem sempre estar bem protegidas.

Para que você entenda melhor o assunto, vamos falar porque e como proteger placas de circuito impresso. Acompanhe.

O que acontece quando falta proteção?

Se você deixa uma parte do circuito de um eletrônico exposta, obviamente, ela estará mais vulnerável a diversos danos. Alguns dos mais comuns são:

Dano químico à estrutura

Dano químico é causado quando o sistema é exposto a algum produto corrosivo ou ocorre uma reação com outra substância. Também pode ser que o calor faça com que fluidos de diferentes partes do sistema vazem em direção à placa, onde eles podem causar danos permanentes.

É bem difícil reparar certos danos químicos e corrosão à placa de circuito impresso, pois o formato e composição são vitais para o seu funcionamento. Mesmo que sejam reparados, pode ser mais eficiente fazer uma substituição completa.

Choques físicos e vibração

Aparelhos motorizados, como aspiradores de pó e geladeiras, ficam expostos a vibrações constantes enquanto funcionam. Com o tempo, tais vibrações podem tirar parte dos circuitos do lugar ou, mesmo, desgastá-los fisicamente. Em casos mais extremos, como é com os celulares, eles podem cair e sofrer choques físicos repentinos e intensos.

Para minimizar os danos causados durante esses acidentes, é vital que a placa de circuito tenha algum isolamento que a proteja contra os choques mecânicos. Sem ele, mesmo que a estrutura externa não seja danificada, pode ser que o conteúdo e a própria placa fiquem arranhados, rachados ou deslocados com o impacto.

Poeira dificultando a transmissão de dados

Falta de isolamento também leva ao acúmulo de poeira e sujeira sobre os circuitos. Por mais que você se esforce para manter o local limpo, pequenas partículas sempre passam por alguma fresta e começam a se acumular. Dependendo da quantidade, pode ser que elas comecem a interferir nos sinais elétricos que passam pela placa.

Além disso, algumas dessas partículas podem ser mais pesadas por si só, o que levará a mais arranhões e pequenos danos físicos com o tempo. Para não ter que limpar a placa constantemente, o ideal é ter, ao menos, uma forma de minimizar o acúmulo de poeira diretamente sobre o circuito.

Umidade

Todos que já usam algum aparelho eletrônico em um local úmido, especialmente próximo ao mar, sabem como a umidade pode danificar bastante o aparelho. A água, sozinha, pode causar diversos danos físicos aos componentes, além de ocasionar a ferrugem de partes metálicas e levar à corrosão de outras.

Por isso mesmo, a maioria dos aparelhos elétricos apresenta alguma forma de isolamento contra a umidade. Não apenas para proteger a placa de circuito impresso, mas todos os seus componentes. A última coisa que você quer é que sua geladeira ou carro pare de funcionar corretamente porque a limpou com água.

Quais os melhores métodos para proteger placas de circuito impresso?

Considerando os riscos listados acima, como proteger placas de circuito impresso? Felizmente, há várias opções disponíveis, com seus prós e contras cada uma. Aqui estão alguns exemplos:

Revestimento isolante

Nesse método, é aplicada uma fina camada de polímero sobre a placa, criando uma “pele” que isola o circuito do espaço externo. Dessa forma, ele ficará bem protegido contra a grande maioria dos danos diretos, como arranhões, corrosão e umidade, mantendo um formato bem compacto e prático para aparelhos que têm pouco espaço disponível.

A desvantagem aqui é, em parte, o custo e a proteção contra choques. Por ser bem fina, essa camada pode ser removida, o que não combina com aparelhos que sofram muita abrasão. Porém, como a placa de circuito impresso costuma ficar no interior do aparelho, isso não costuma ser um problema.

Encapsulamento

É possível proteger a peça completamente, por meio de um fluido de preenchimento, que pode ser feito através de resinas como o poliuretano, o epóxi e o silicone. A proteção aqui é bem mais sólida, pois há uma camada bem grossa de substância separando a placa do ambiente externo. Naturalmente, ela também absorve boa parte do impacto de uma queda, por exemplo.

Encapsular placas de circuito impresso com o poliuretano, por exemplo, oferecem diversas vantagens, pois o poliuretano permite boa flexibilidade em qualquer temperatura, é muito indicado para uso em materiais delicados e por ter a cura em tempo variável, é uma excelente opção para circuitos mais elaborados e desenhados, pois assim a resina pode escoar e preencher todo o desenho da peça. Outra vantagem da resina de poliuretano é o fato de ela ser a mais avançada tecnologia em termos de proteção do segredo industrial e dos componentes para a indústria eletro/eletrônica.

Macro moldagem

Se você precisa de uma caixa sob medida para proteger a placa de circuito impresso, então a macro moldagem é uma opção com custo bem eficiente. Em vez de construir uma casca e depois encaixar as duas partes, tanto a cobertura quanto o suporte da placa são criados e moldados em conjunto, de acordo com a forma do circuito. É ideal para peças bem delicadas, pois possui maior precisão e menor pressão sobre os componentes.

Vedação modular

Na hora de montar diversos circuitos e encaixá-los na placa impressa, pode ser mais fácil protegê-los separadamente do que tentar encaixá-los primeiro. Usando a vedação modular, você pode criar pequenos conjuntos que se encaixam a posteriori. Pode ser bem mais prática quando um mesmo tipo de circuito é usado em diferentes aparelhos. Assim, uma quantidade maior pode ser produzida em massa e depois inserida onde ela é necessária.

Agora que você entende melhor porque e como proteger placas de circuito impresso, pode trabalhar na manutenção e confecção de aparelhos eletrônicos com mais eficiência e qualidade. Para continuar acompanhando nossas dicas, assine nossa newsletter e receba todas novidades em primeira mão.